Homenagem ao dia dos pais

29/07/2010 07:36

 Orlando e Lívia, casados pais de dois filhos, Aldo e Neide, viviam em uma pequena cidade em um dos bairros mais pobres, por sinal Orlando, atravessava uma crise muito forte de pobreza, estava desempregado não conseguia ajuda de ninguém, por mais que insistisse.

Orlando que era muito trabalhador, sentia-se atormentado, homem de muito caráter, sentia vergonha da própria esposa, o tempo foi passando, seus filhos às vezes choravam de fome, sua esposa resmungava, que vida! Nada temos para comer e disse a Orlando, saia por ai, faça qualquer coisa, era cedinho, Orlando pega o chapéu para sair, seus filhos chamam o pai e diz, estou com fome, com os olhos cheios de lagrimas, Orlando diz, vou dar um jeito e saiu, ao caminhar pelas ruas, viu em uma janela, três pães, passou para lá, voltou olhou não viu ninguém, pegou os pães e levou para casa.

Mas do outro lado da rua uma senhora, que se preparava para sair, viu Orlando pegando os pães, não falou nada, saiu normalmente, mas ao chegar à esquina seguinte encontrou um policial que também saia de sua casa para o serviço, ai a mulher delatou o acontecido o policial não hesitou em tomar uma atitude, prender Orlando, e saiu rumo à casa de Orlando.

Chegando lá, deparou-se com as crianças e sua mulher Lívia que estavam acabando de comer os pães, o policial não teve contemplação, já foi algemando Orlando e acusando-o de ladrão, comigo é na cadeia, na frente das crianças e de sua mulher, foi empurrando para fora Orlando, com lagrimas nos olhos, sem saber o que falar, disse Orlando, meus filhos os pães que vocês comeram eu tirei da janela de um de nossos visinhos, Aldo, o menino já grandinho assistiu tudo, mas assustado disse ao pai, não se preocupe o senhor vai e nós vamos fazer tudo para devolver esses pães para o dono, um dia eu vou crescer estudar para eu poder conversar com esse policial.

Orlando foi levado até a delegacia e La permaneceu preso por dois meses, enquanto isso Lívia e as duas crianças conseguiram um trabalho, ganharam algum dinheiro e devolveram os pães do visinho.

Orlando quando voltou, não consegui adentrar em sua casa com vergonha da mulher e dos filhos, foi quando Aldo, o primeiro filho do casal, correu abraçou o pai dizendo:

Não fique triste, estamos aqui orgulhosos de você, o que aconteceu servira para nos encorajar, vamos conseguir um trabalho eu e minha irmã Neide, vamos ajudá-los com nossa pequena força, o senhor e a mamãe serão recompensados, vamos estudar muito e seremos também alguém que fará com que o senhor seja muito respeitado.

Orlando sorriu e disse sim meus filhos, vamos trabalhar muito, aposto em vocês para vencermos.

Passaram dias, anos e as crianças cresceram, atitude do policial com o seu pai, nunca saiu da mente de seus filhos.

Agora os filhos já adultos, que nunca perderam de vista o policial, preparavam-lhe uma surpresa, Aldo já formado advogado e sua irmã Neide como professora, já bem sucedidos na vida.

Aldo chamou sua irmã, Neide e seus pais, Orlando e Lívia e convidaram o policial para um almoço e assim o fizeram.

O policial que já tinha esquecido o acontecido de anos atrás aceitou o convite.

Chegou o dia do almoço, todos esperavam que Aldo fosse mal tratar o policial, mas isso não aconteceu simplesmente Aldo se levanta e diz ao policial.

A ultima vez que o senhor esteve aqui em nossa casa o senhor no exagero da profissão prendeu meu pai por ele ter furtado três pães, para matar nossa fome, hoje quero que o senhor leve da casa de meu pai muita paz e muito amor que para nós é um símbolo de honestidade.

O policial com lagrimas nos olhos disse, meu amigo reconhece o meu exagero e quero o perdão de vocês e quero que Deus os abençoe.

© 2010 Todos os direitos reservados. No ar desde 01/01/2010

Desenvolvido por Webnode