judô

23/01/2010 12:54

 

Seu filho é agitado? Tem dificuldades de relacionamento? Dificuldades de concentração ?

Uma opção para que ele mude alguns hábitos e adquira certas habilidades pode estar na prática das artes marciais. O judô é uma das modalidades que leva a criança a ter disciplina, atenção e até a melhorar o comportamento. A idade para começar a treinar varia.

Depende muito do método da escola, do professor e da avaliação médica.

Entrevista com o sensei (professor) Fabio

 

pratapolis.com - Qual a filosofia do judô?

 

SENSEI – Os três princípios filosóficos definidos por Jigoro kano que, como ditado por ele mesmo evidenciam a principal diferença entre o JUDÔ KODOKAN e o antigo Jujitsu: “o Judô pode ser resumido como a elevação de urna simples técnica a um principio de viver" (Jitsu = técnica; Do = princípio). Esses princípios, mesmo não sendo conscientemente esclarecidos e compreendidos, estão presentes em todos os atos e atividades do praticante de judô. Por outro lado, quando o praticante tiver fixado e tomar consciência dos princípios que norteiam o judô, pode-se verificar que não são restritos ao Dojô, mas são igualmente válidos em qualquer atividade da vida diária, quando se pretende atingir um determinado objetivo.

 

Os três princípios do judô são:

 

                                    JU = suavidade

            SEIRYOKU-ZEM-YO = máxima eficiência com o mínimo esforço

                        JITA-KYOEI = bem estar e benefícios mútuos

 

pratapolis.com – Qual a melhor idade para se praticar o judô?

 

SENSEI – O judô pode ser praticado a partir dos cinco anos de idade.

 

pratapolis.com – Qual a intensidade de risco de lesão?

 

SENSEI – Foi comprovado em matérias e estudos, que o judô causa menos lesão que no futebol, justamente pelo fato que se aprende a defender-se de quedas, deste modo o adulto ou a criança estará aprendendo a se defender de golpes e quanto mais se progride no judô mais o jovem ou adulto estará apito a evitar as lesões.

 

pratapolis.com – Benefícios?

 

SENSEI – Melhora da coordenação motora, força física e raciocínio lógico, no judô foram comprovados inúmeros benefícios, á estudos no Brasil por cientistas da UNICAMP, que aumenta significativamente a massa cinzenta, é uma arte marcial que é comparada ao xadrez, por usar mais o raciocínio do que propriamente a força física.

Temos em torno de 100 a 200 movimentos que criança e adultos, tem que aprender, praticar e realizar com destreza.

 

pratapolis.com – Concentração?

 

SENSEI - A Concentração no judoca é peça fundamental para o sucesso em suas tarefas e desafios, sem ele o judoca pode considerar-se um perdedor. A calma pode salvar o judoca nos momentos mais difíceis.

Durante uma luta, por exemplo, ao receber um golpe e ficar em desvantagem, se não tiver calma e disciplina o judoca pode se deixar tomar pela raiva e em um ato de desespero, tentar executar um golpe com fúria, o que certamente, vai dar a chance de seu adversário utilizar essa "força bruta" contra ele mesmo, acarretando na derrota.

Nos momentos mais difíceis, tanto das lutas quanto da vida, deve-se usar a concentração para garantir uma ação precisa e que determine sua vitória com mais certeza.

 

Devemos conservar alguns hábitos judoísticos que fazem parte do dia a dia do professor, aluno ou iniciante. Algumas escolas de Judô esquecem ou realmente não praticam a concentração antes e após as aulas. O chamado "MOKUSSÔ" é um dos momentos de maior valor na prática do Judô. Ele serve para nós agradecermos ou pedirmos algo que almejamos ou que foi alcançado. Basta ficarmos em Za Rei (posição ajoelhado), manter o corpo ereto ao longo de seu eixo, relaxar os ombros, fechar os olhos e meditar por alguns instantes.

 

Os mestres sempre devem realizar o Mokussô independente de seu temperamento, para que, o aluno adquira a formação Moral e Cívica ideal como judoísta, tomando tais atitudes como exemplo."O ESPÍRITO DO JUDÔ" SEIRYOKU ZENIO (o melhor uso da energia) e JITA KYOEI (prosperidade e benefícios mútuos). Acreditamos que todo o ideal e os ensinamentos que nos deixou o mestre Dr. Jigoro Kano resumem-se nessas duas máximas, as quais encontramos uma analogia nos Evangelhos de Jesus Cristo: Amar ao próximo como a nós mesmos, utilizando nossos dons para servir.

O Judô não é apenas uma luta, é uma filosofia, um sentido a ser seguido, ele prega a disciplina, a concentração, a passividade, a defesa dos fracos e o equilíbrio entre corpo e alma.

A mente do judoca, de maneira concentrada e sadia, pode ser sua maior arma contra seus adversários.

O princípio da máxima eficiência é aplicado à elevação ou à perfeição do espírito e do corpo na ciência do ataque e da defesa, exige primeiramente ordem e harmonia de todos os membros de uma coletividade e isto pode ser atingido com o auxílio e as concessões entre si para atingir a prosperidade e os benefícios mútuos.

O espírito final do judô, por conseguinte, é de incutir no íntimo do homem o respeito pelos princípios da máxima eficiência, da prosperidade e benefícios mútuos e da suavidade, para poder atingir, individualmente e coletivamente seus estados mais elevados e ao mesmo tempo mais desenvolvidos na arte de ataque e defesa.

O professor Kano afirma o seguinte: "Ainda que eu considere o Judô dualisticamente, a prosperidade e benefícios mútuos podem ser vista como sua finalidade última e a máxima eficiência como meio para atingir esse fim. Essas doutrinas são aplicáveis a todas as condutas do ser humano”.

 

 

 

Recado do Sensei Fabio:

 

Eu espero que os moradores de Pratápolis dêem uma oportunidade, pois estou trazendo o esporte para cidade sem nenhum interesse financeiro e sim com o intuito de difundir o judô.

Sou um apaixonado pelo esporte, pratico desde oito anos de idade, fiquei um tempo afastado, mas retornei, enxerguei nos pratapolenses o potencial e vontade para a pratica do judô.

 

© 2010 Todos os direitos reservados. No ar desde 01/01/2010

Desenvolvido por Webnode